Associações de Turismo dos Açores fundem estratégias e orçamento

Terça-Feira, Dia 8 de Abril de 2014 as 16:42

A Associação de Turismo dos Açores (ATA) e a Associação Regional de Turismo (ART) fundiram, pela primeira vez, as estratégias de promoção do arquipélago, tendo um plano de atividades comum para 2014/2015 de 15,2 milhões de euros.

Segundo o plano de atividades para 2014/2015, a que a Lusa teve acesso, o Turismo dos Açores mantém uma aposta no segmento da natureza e do mar "fortemente experiencial", com "segurança", "proximidade e um certo exotismo".

"O plano de atividades para 2014/15 pretende dar continuidade a esse posicionamento, tendo em conta o reforço da aposta nos mercados estrangeiros e o investimento em ações que contribuam para o inverter da tendência negativa verificada nos últimos anos no mercado nacional", refere o documento.

Com um orçamento de 15,2 milhões de euros, financiado, na sua maioria (69%), pelo Programa Operacional dos Açores para a Convergência e pelos contratos com o governo açoriano (28%), a nova orgânica do Turismo dos Açores contempla "pela primeira vez verba para desenvolvimento do produto turístico", lê-se no documento.

Ao longo dos próximos dois anos, a promoção turística vai ser feita através de feiras e encontros, em "vinte mercados", sobretudo no alemão, cujo crescimento previsto de visitantes é de 25%, no belga (20%), nos EUA (15%) e noutros países europeus (10%).

Além de "recuperar a retração do mercado nacional", o plano dá "enfoque aos mercados Polónia, Rússia, Estónia e República Checa, resultado da identificação de oportunidades de negócio".

"Em termos de ligações aéreas diretas para os Açores, prevê-se um aumento de 137 rotações, comparativamente a 2013, atingindo-se as 1167 rotações com os diversos mercados, destacando-se de entre estes os EUA, Canadá, Alemanha e Espanha com o maior número de rotações. Para além destes destinos, conta-se ainda com ligações aéreas diretas do Reino Unido, Dinamarca, Suécia, Finlândia, Bélgica, Polónia, França e Holanda", detalha.

Sandro Paim, presidente da direção da ART e vice-presidente da direção da ATA, referiu tratar-se de uma "concentração" das duas entidades que, operacionalizada em 2014, visa uma "consolidação" da estratégia turística dos diferentes agentes da região.

"Até há pouco tempo, tínhamos, por um lado, uma ATA a fazer apenas a promoção do destino, e uma ART a fazer a consolidação da oferta, a trabalhar os produtos e a perceber os nichos de mercado e a estratégia de segmentação a desenvolver na região para a captação de fluxos", explicou o responsável, em declarações à Lusa.

Atualmente, as associações têm um plano de atividades e um orçamento em comum, mantendo contudo a sua natureza jurídica própria, sendo a ATA composta por associados de natureza pública-privada, entre eles a Direção Regional do Turismo, a transportadora aérea SATA, a Associação de Municípios dos Açores e as autarquias do grupo oriental. A ART é composta pelas câmaras de comércio de Angra do Heroísmo e Horta e as autarquias dos grupos central e ocidental.

Para o responsável, o trabalho "até agora separado" de cada entidade na promoção turística dos Açores, teve "um processo evolutivo".

"Ainda me lembro, no início da ART, de estarmos na BTL [Bolsa de Turismo de Lisboa] com um pavilhão da ART e depois um pavilhão de cada município, com tudo separado, agora conseguimos que seja um único 'stand', que consolida a oferta e que tem dado frutos", referiu.

Com a fusão das estratégias, a ATA, igualmente designada de Turismo dos Açores, passou a "albergar" a equipa da ART.

"Agora, temos um Turismo dos Açores que alberga toda a equipa que está a desenvolver, quer ao nível da promoção, do 'marketing', do produto, o turismo dos Açores", explicou.

Retroceder

Home » Notícias

RSS Feeds | Newsletter | Contacte-nos

® Copyright Via Oceânica 2007 , Todos os direitos reservados Termos de Utilização | Política de Privacidade POS_Conhecimento União Europeia